segunda-feira, março 17, 2008

SAINDO DA ROTINA ( Weekend at WAKU-KUNGO)

…ainda anestesiada pela ímpar lembrança de ter rasgado as estradas do país numa super máquina. Ver chegar a noite no campo e uma meia-lua que insiste em namorar a torre da igrejinha esquecida no cume da montanha... na madrugada, emoções confumdem-se entre o sonho e a realidade, o eterno e o efémero… ao amanhecer, um céu chuvoso com cadência de gotas que molham o chão... um pouco surpresa, prendo-me no vago desassossego de meu íntimo. Ao som das gotas, junta-se o canto despercebido de um pássaro... talvez morar na cidade chega a ser um desperdício de tempo - reflicto - mas também não me vejo como gente do campo, mas aqui, pelo menos o cenário é recíproco às necessidades da alma…


YEP, DONT GIVE UP!!!



9 comentários:

Edson Macedo disse...

Querida só t posso dizer parabéns. Nada como sair deste hipermercado que cham de cidade e ir apreciar o que há de bom nesta terra q é terrra e é nossa apesar dos "donos".
A lua, meia ou cheia, vem mais brilhante q a palerma da Edel (rusqueira, vazia e sem brilho) e ainda se dá ao luxo (a Lua) de deixar prateados os tectos por onde toca e os corações por onde penetra (a Lua). Enfim... dando, em alguns casos, azo à imaginação e outras penetrações (lunares) mas de igual ou superior êxtase.

Anónimo disse...

Ninha!! Pelo qui vejo continuas a mesma, amante da estrada de mochila nas costas, isso me reporta aos nossos tempo de faculdade, as viagens na amazónia...!! Mas fala sério, ficou rica??? Isso aí é uma Silverado de fazendeiro rico.oh, ja te mando minha conta, ve se deposita uns $$$$ rssssssss
Rob

ANNA MATHAYA disse...

Edson, Você é fantástico e tem Ginga com a Palavra!! Essa dança disproporcional EdelxLua foi demais!! Pois é, o País que aparenta ter donos é na verdade nosso, e enquanto eles nos não proibirem, nós vamos calma e suavemente penetrando-o...

ANNA MATHAYA disse...

Roberto
Boas recordaçôes de nossos tempos de mochileiros!!! Claro que continuo mochileira, com "um pouco mais de luxo" claro!!!! Não entendod de carros, mas é sim uma Silverado, mas "felizmente" não é minha, bom, essa aí é somente uma, me da um tempo e mostro-te outra "grande máquina" que também eetava na caravana... pode guardar sua conta, q ainda tou paupérima, rica somente de palavras rssssssssssssssss

Gociante Patissa disse...

Um dia ainda me explicas onde garimpas tanta poesia, tanta carga narrativa que espalhas nos seus escritos (tão curtos e tão profundos). Já fui mochileiro, já fui livre (liberal), já fui mais eu, até "encaixar-me" noutro tipo de trabalho (de horário fixo, burro). Abraços continuemos!

L.S. Alves disse...

O que importa é curtir a estrada e as paisagens. Divirta-se e continue dividindo suas aventuras conosco.
Um abraço.

Rosita de Palma disse...

Feliz dia do Pai (atrasadíssimo), feliz páscoa e feliz semana de trabalho (árduo).
O contácto com as paisagens de Angola, é simplesmente rejuvenescedor, em todos os aspectos.Uma viajem de carro para o interios de 5/6 horas é 1000 vezes mais gradável do que saír de um ponto para outro da cidade,pena que dure pouco né??? mais o remédio é aproveitar ao máximo, estes "efémeros" momentos que se "eternizam" em nossas memórias.
kandandos!

MESUMAJIKUKA disse...

Eu um moxileiro em tempos idos de jornalismo político fazendo reportagens no interior guerreiro. Hoje um maleiro (ando com mala de roupas) redescobrindo por terra o que os ares não me permitiam. Quis a dona radicar-se no Vie ( é mesmo com V) e de 42 em 42 lá estou, por terra. Sentindo o cheiro da terra que vai cedendo nos atalhos ao negro asfáltico. ë boa experiência a da Mathaya. Espero poder convidar-me um dia.
Fazes o invite, sister?

ANNA MATHAYA disse...

Luciano, sita-se convidado!!! O lema é: "MOCHILA NAS COSTAS E PÉ NA ESTRADA"!!!!!!!!
BJS