terça-feira, fevereiro 17, 2009






...se ilhas falassem, te diriam da consternação pelos humanos que vivem amores escondidos, no silêncio e na clandestinidade. Se o Mussulo falasse te diria da lágrima escondida, do brilho da lua, que presa na onda silenciosa rasga o mar e quase se faz sorriso, te diria também do desejo de vitória da solidão, do prazer de ter um amor compartilhado, mas ilhas não falam, apenas obedecem, é dito antigo: Calavai-vos diante de mim ó ilhas....

5 comentários:

L.S. Alves disse...

E assim descançam em nosso peito todos os segredos que elas poderiam revelar.
Um abraço moça.

KimdaMagna disse...

estas ilhas aqui ( são nove) falam a fala do rasgo vuilcânico: duma escravatura que ia e vinha por esse Oceano. dos bárbaros "os outros". Tem até a lenda da princesa que se accorrentou ao magma vulcânico, aliciando o seu amado a fazê-lo também.Os segredos esses foram derretidos pela força lávica.
Xaxuaxo

ANNA MATHAYA disse...

Benditas ilhas e seu voto de silêncio!!! Luis e Kim obrigada pela visita

MESU MA JIKUKA disse...

Fiz de minhas experiências minha prosa em texto publicado há quatro anos. Ai se as ilhas (angolanas) falassem... Quantos lares estariam destruídos e quantas famílias desunidas... Ainda bem que se cala(ra)m para sempre.

casa da poesia disse...

lindo!...e...

"the flowers are all right"...!?...