quinta-feira, março 05, 2009

LUB LUAN...

E fiquei assim vagando no pensamento, com o cérebro a meio gaz, a cabeça quase em chamas, nem o elucidante artigo do Greg recém publicado me eleva o ánimo… em mim se refaz o quadro da cidade abarrotada, onde é mais vantajoso andar de duas rodas humanas do que das quatro inventadas pelo homem…
E fico assim meio perdida em mim, e no preço da condiçao feminina presente no liquido vermelho e aquecido que voluntáriamente escorre... há quem goste, em nome da preservação d humanidade, eu não!…
um pouco mais abaixo, nas escadas que dão acesso ao poder, sentada uma menina de trancinhas curtas - um retrato de mim no passado - perdeu a viagem para o saber, e enquanto espera, refaz o dever de casa… que futuro??!
Do outro lado nas escadas que dão acesso ao céu, um homem feito louco reza em viva voz a vinda pré anúnciada de um Pedro Alemão,
Eu, prossigo em mim e comigo…
Na outra esquina, um usurpador do alheio esboça um discreto sorriso de satisfaçao e em nome de fazer cumprir a lei, destrata as mães andantes e deixa dezenas de crianças sem pão…
Vem-me de novo Neruda e a exigência da interpretaçao do saber poético: não sou escritora, muito menos exegeta, faltam-me idéias, aliás, tenho-as muitas, confusas, desorganizadas, obrigo-me a dar-te razão: apesar de abarrotada, a cidade me faz solitária e desconexa… Lub…Luan… ainda assim o sorriso!! a hora é essa!!

3 comentários:

Edson Macedo disse...

E ainda assim vamos vivendo e vamos estando de pé porque o sabor dos constrangimentos se renova a cada dia que passa mas o prazer de viver e de lutar pela vida cresce e é cada vez maior.
Também aguardo por dias melhores mas acreditando sempre em Agostinho Neto quando escreveu "impaciento-me nesta mornez histórica de esperas e de lentidão".

MESU MA JIKUKA disse...

Ana dizias num comentário deixado na Página do Edson Macedo que: "Convido-vos a reflectir no que será feito dos buracos da cidade nessa fase em que há escassez de recursos públicos..."
Retomando o assunto, neste palco, devo dizer que ao terminar a chuva teremos mais buracos do que asfalto. O tempo é o melhor juiz e a chuva o melhor fiscal das obras de Luanda. Se a cidade me desmentir quanto ao desgaste do asfalto, já o Guetho não o fará... Há e haverá cada vez mais buracos, sobretudo, agora que há menos dinheiro para repetir as obras cosméticas...

KimdaMagna disse...

.."sentada uma menina de trancinhas curtas" vai deixar suas tranças crescer... crescer.
assim numa delas acederá ao Céu, noutra, se quiser descerá dele...

xaxuaxo