domingo, outubro 02, 2011

Madrugada...






Na rua, ainda o som dos amigos da noite, mas seus olhos já piscam pesados. Com passos lentos caminha para o quarto, nele a cama e nela o mesmo edredon vermelho com as marcas de quem um dia a ele pertenceu, ainda pertence... No fundo da alma um único desejo: te-lo de volta, na mesma intensidade... alguns metros de si, um certo X, pensa em atrai-lo, mas se recusa em romper princípios, em trair o amor, em trair-se a si mesmo, então caminha até ao quarto de banho e já refeito dos efeitos de um monte velho, passa água no rosto, decide desligar-se do virtual, e voltar a realidade, mesmo que seja sofrida...afinal, amanhã será um outro dia...aliás, já é um outro dia, falta apenas acordar para ele!

1 comentário:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- anna, havia muito tempo que não me impressionava com palavras tão sinceras. essa existência tão alentadora, que sempre evoca do do nosso âmago a essência, que insiste reinventar - como força - o que somos.

favoritei seu blog aqui. grande abraço.